INFORMAÇÃO É PODER

DADOS, DICAS E RECEITAS DE VIDAS SEM GLÚTEN



sexta-feira, 27 de março de 2015

Pão de forma na Bimby

Hoje, mais uma receita da nossa já bem conhecida Ana Pimenta, pão de forma na Bimby. Obrigada Ana!

"Para a lancheirinha da escola, fatias douradas ou simplesmente para uma torrada formada, nada como um pão de forma. Esta receita é adaptável para batedeiras de bolos ou outros robots de cozinha.

Ingredientes:
530 ml de água
4 gramas de fermento seco ativo Quick Yeast Doves Farm
250 gramas de farinha panificável Schar Mix B
250 gramas de farinha panificável Doves Farm white bread
10 gramas de psílio Finax
7 a 9 gramas de sal marinho
3 claras de ovo M batidas em castelo (opcional, ou 10 gramas de leite em pó isento de glúten)
Óleo vegetal q.b. para untar
Farinha de arroz caseira ou da marca Ceifeira para enfarinhar

Unte a forma de pão com óleo vegetal ou azeite e enfarinhe com farinha de arroz. Bata as claras em castelo*.

Coloque no copo da Bimby a água e o fermento. Faça um movimento de turbo. Se temperatura ambiente estiver fria aqueça a mistura: 3 minutos / vel 1 / 37ºC. Adicione os restantes ingredientes excepto as claras e amasse durante 5 minutos (programa espiga). Incorpore as claras: mais dois minutos no programa espiga.

Deixe levedar no copo da Bimby. Coloque-o ao sol durante 40 minutos ou cubra com mantas polares, se estiver frio, durante uma hora a uma hora e meia.

Findo esse tempo coloque gentilmente a massa na forma: bata com a forma na bancada da cozinha para retirar o ar e coloque-a dentro do forno. Opcionalmente pode deixar levedar na forma de pão directamente. Pré-aqueça ligeiramente o forno a 50°C e desligue. Coloque a forma semiaberta no forno desligado até a massa chegar quase ao topo da forma.

Feche a forma e ligue o forno a 220°C. Deixe cozer durante 45 minutos a 200º C. Coloque um recipiente com água a ferver no fundo do forno ou gelo, abra a tampa e coza sem tampa durante 30 minutos.

Deixe arrefecer um pouco dentro da forma e retire depois o pão para uma rede de arrefecimento. Fatie apenas quando estiver frio.

*Bata as claras na Bimby previamente à restante receita. Programe com a borboleta três minutos/velocidade 6 ou use a batedeira de bolos enquanto amassa (para poupar tempo).

Bom apetite!"




















segunda-feira, 23 de março de 2015

Argolas de canela

Hoje, mais uma receita da minha Mãe, cujo original com glúten é da Ina Garten, a Barefoot Contessa do canal Food Network. Os netos agradecem o esforço da Avó. Fotografia do Avô. 

Ingredientes:
300 gramas de farinha Doves Farm White Self-raising
180 gramas de açúcar
1 colher de chá de canela
1/2 colher de chá de noz-moscada
1 pitada de sal
300 ml de leite
1 ovo L
2 colheres de chá de essência de baunilha

Numa tigela, misturam-se os sólidos e acrescenta-se depois o leite e a baunilha. Junte depois o ovo e misture tudo muito bem até ficar uma massa homogénea e sem grumos.

Vai ao forno a 180C durante 17 minutos numa forma de silicone própria para argolas ou donuts (comprada na Loja do Gato Preto). Quando estiverem prontas, retiram-se do forno, pincelam-se com manteiga derretida e passam-se depois por canela com açúcar.
















domingo, 22 de março de 2015

Novos pontos de venda sem glúten

Felizmente, a oferta de produtos sem glúten continua a crescer: hoje, aproveito para divulgar três pontos de venda que oferecem produtos garantidamente sem glúten. Ainda não provei os seus produtos, mas assim que o fizer actualizo o post.

Choco & Mousse, uma pastelaria em Lisboa, certificada pela APC. Definem-se assim: "A Choco & Mousse nasceu da paixão pela confeitaria húngara e pelo desejo de criar novas receitas desconhecidas do público português. Apostando na confecção artesanal, na utilização exclusiva de frutas e ingredientes frescos sem aditivos, corantes ou conservantes, a Chef Erika Szabó marca a diferença pela originalidade e riqueza dos sabores. (...) E não esqueçamos as especialidades sem glúten, sem adição de açúcar ou sem lactose, para aqueles que sempre se viram privados de uma sobremesa de classe devido às suas restrições dietéticas."



Monte dos Paladares, uma empresa que produz produtos sem glúten, também certificada pela APC, e que dispõe de loja no Mercado da Ribeira em Lisboa. A Montes de Paladares é uma nova empresa tradicional de produtos biológicos e sem glúten, inserida no Projecto Biológico da Herdade do Freixo do Meio em Montemor-o-Novo e oferece produtos artesanais e biológicos: Doces, Bolinhos, Chocolate, Chutneys e Conservas Vegetais.




Sweet Castanea surge no mercado português fruto da iniciativa de um conjunto de pessoas apaixonadas pela castanha e fundamentalmente pelo que ela representa, desde há séculos, na cultura gastronómica portuguesa. Na sua página de Facebook esclarecem que "Temos análises laboratoriais a atestar essa mesma isenção (<3mg/kg) e a possibilidade de contaminação cruzada é uma das nossas principais preocupações. Todos os ingredientes que utilizamos na confecção da nossa gama de produtos são isentos de glúten. Agora só resta saborear os nossos produtos com a tranquilidade de não ter o glúten por perto!"


domingo, 15 de março de 2015

Bolo virado de morango

Os morangos estão aí, em todos os supermercados e mercados, a tentar-nos... Vai daí e não resisti a experimentar a receita de hoje que encontrei na revista Mulher Moderna na Nova Cozinha (já agora, para quem não sabe, esta traz habitualmente uma secção com receitas sem glúten também). A receita do bolo virado de morango não era sem glúten, mas adaptei-a e saiu um bolo leve e saboroso; reduzi também as quantidades originais pois pretendia um bolo pequeno para sobremesa.


Ingredientes:
4 ovos
160 gramas de açúcar
100 gramas de manteiga/margarina
140 gramas de farinha Doves Farm White Self-raising
60 gramas de amêndoa moída
Morangos frescos
Compota de morango

Forre uma forma redonda com papel vegetal e polvilhe o fundo com açúcar. Reserve.

Misture a farinha com a amêndoa moída e reserve.

Separe as gemas das claras e bata estas últimas em castelo com uma colher de acurar. Reserve.

Bata bem as gemas com o açúcar. Adicione a manteiga derretida e bata novamente. Envolva a farinha no preparado, alternando com as claras em castelo.

Entretanto, lave os morangos que necessitar para cobrir o fundo da forma, corte-os ao meio e disponha-os. Verta a massa por cima e ao forno pré-aquecido a 180C  a cozer durante 40 a 45 minutos, até um palito espetado no centro do bolo sair seco. Deixe arrefecer um pouco e desenforme. Cubra a gosto com um pouco de compota de morango.





















quarta-feira, 11 de março de 2015

O que é o glúten?

A revista online New In Town (NIT) saiu à rua para fazer um vox pop sobre os conhecimentos dos portugueses sobre o glúten, agora que esta proteína anda nas bocas do mundo, tal como já o tinha feito Jimmy Kimmel no ano passado. O resultado não é muito animador, como seria de esperar: eu própria só ouvi falar no glúten quando chegou a altura de dar papas ao ao meu filho. A única diferença é que, com a moda da dieta sem glúten para emagrecer, a maioria das pessoas associa esta proteína a algo que engorda, ou aos hidratos de carbono. 

Pode-se perguntar qual a relevância de saber o que é o glúten para quem não tem que fazer uma dieta sem glúten ou não estuda Nutrição. Há hoje um excesso de informação e cada um filtra a que mais lhe interessa. Os celíacos e os sensíveis ao glúten conhecem-no por necessidade; quantas outras proteínas existem que desconhecemos só porque não nos fazem mal? O vídeo está giro de ver, mas acaba por não acrescentar muito.

Imagem do vídeo NIT

sábado, 7 de março de 2015

Pão de forma integral

Deste vez, quis experimentar os magníficos "poderes" da farinha Brot Dunkel da Schar no pão de forma. Em boa hora o fiz. Esta farinha ainda só se encontra à venda nas lojas Celeiro, mas vale a pena a sua aquisição. 

A receita a que cheguei tem alguns ingredientes menos comuns, mas usei-os por uma razão: o óleo de grainha de uva além de não ter um sabor acentuado, aguenta altas temperaturas sem se degradar, o que não acontece com o azeite; o açúcar de coco dá cor ao pão (como daria o açúcar normal), mas tem um baixo índice glicémico, o que o torna mais saudável. A Proceli não é uma farinha fácil de encontrar (eu comprei nos supermercados Froiz), pelo que poderá ser trocada pela Beiker, ou a farinha de marca própria do Jumbo ou do El Corte Inglés, mas tendo atenção aos líquidos, porque cada farinha absorve água de maneira diferente.

Os pedidos de repetição para este pão "quadrado", têm sido vários. Claro que, para que adquira este formato, deve-se procurar a forma certa, uma com tampa. Eu comprei a minha aqui.


Ingredientes:
250 gramas de farinha Schar Mix B
100 gramas de farinha Proceli
50 gramas de farinha Schar Brot Dunkel
50 gramas de farinha de trigo sarraceno Bauckhof
5 gramas de psílio em pó Finax
5 gramas de sal
5 gramas de fermento seco Doves Farm
525ml de água morna
10 gramas de açúcar de coco
10 gramas de vinagre de sidra
25 gramas de óleo de grainha de uva

Misture as farinhas com o psílio e o sal na cuba da sua batedeira. Acrescente depois o fermento. Entretanto, junte num copo o óleo, o açúcar e o vinagre e misture bem. Junte depois a água.

Ligue a batedeira e vá juntando a água aos poucos. Deixe bater durante alguns minutos, até obter uma massa lisa e homogénea. Tape a cuba e deixe levedar durante uma hora. 

No final desse período, aqueça ligeiramente o forno a 50°C e desligue. Unte a forma com óleo e polvilhe com farinha de arroz. Bata a massa para retirar o ar e coloque dentro da forma. Coloque-a semi-aberta com a tampa no forno desligado até a massa chegar ao topo da forma. Feche-a e ligue o forno a 220°C. Deixe cozer durante uma hora.

Deixe arrefecer um pouco dentro da forma e retire depois o pão para uma rede de arrefecimento. Só fatie quando estiver frio.
















quinta-feira, 5 de março de 2015

E agora em Portugal...

Depois deste post, eis senão quando vejo esta notícia: Braga tem máquina de vending de produtos biológicos... e sem glúten. Instalada num colégio da cidade, a máquina tem tido boa aceitação; tem principalmente produtos de origem biológica em que alguns destes são sem glúten e/ou sem lactose. Agora é esperar que a moda pegue.


sábado, 28 de fevereiro de 2015

Etiquetas sem glúten

A Kids & Babies Design é um estúdio de design gráfico que cria elementos únicos e personalizados para a decoração de festas e eventos sociais. Para quem faz uma dieta sem glúten, esta empresa criou etiquetas para identificar a isenção de alergéneos na comida para festas, que podem ser particularmente úteis quando se servem produtos com e sem glúten. Além disso, podem ser personalizáveis. Fica a dica.








































Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...