INFORMAÇÃO É PODER

DADOS, DICAS E RECEITAS DE VIDAS SEM GLÚTEN



sexta-feira, 28 de novembro de 2014

As variadas formas da doença celíaca

O post de hoje traz um artigo muito actual e interessante que saiu esta semana  na Reuters Health sobre um estudo italiano publicado este mês na revista BMC Gastroenterology sobre a evolução na apresentação que a doença celíaca tem sofrido nos últimos anos.

"A doença celíaca, mostrando-se com muitas formas e em todas as idades

Imagem retirada da Net
Um conjunto de sintomas clássicos da doença celíaca já não reflecte o perfil dos pacientes diagnosticados mais recentemente, de acordo com um novo estudo italiano. Em vez disso, os médicos precisam de ter outros sintomas em conta e analisar a possibilidade de doença celíaca, mesmo quando os pacientes não se encaixam na velha imagem desta condição, dizem os investigadores.

"Tem sido um fenómeno gradual desde a década de 1970 em que menos pessoas apresentam a diarreia clássica, mas mais com uma apresentação não-clássica ou silenciosa, tanto em adultos como em crianças", disse o Dr. Peter Green, que não esteve envolvido no estudo. "Realmente não sabemos porque uma pessoa está com diarreia e outros apresentam-se com dor abdominal ou osteoporose", disse o Dr.Green, director do Centro de Doença Celíaca da Universidade de Columbia, em Nova Iorque.

O Dr. Umberto Volta e os seus co-autores escreveram na revista BMC Gastroenterology que há apenas 15 anos atrás, a doença celíaca ainda era pensada principalmente como uma intolerância alimentar pediátrica rara, cujos sinais mais comuns eram diarreia e danos intestinais diagnosticados através de uma biópsia.

A doença é agora conhecida por ser uma doença auto-imune, causada por uma incapacidade em tolerar a proteína do glúten no trigo, cevada e centeio. Em pessoas com doença celíaca, comer glúten, normalmente, provoca inflamação da mucosa intestinal e faz com que seja difícil absorver nutrientes.

As pesquisas mostram que mais de um por cento das pessoas no mundo têm a doença, mas a maioria pode não sabê-lo, destacam os autores do estudo. O diagnóstico baseia-se num teste de sangue para detectar sinais de resposta imune anormais, tais como anticorpos, bem como, em alguns casos, a biópsia.

Com os seus colegas, o Dr. Volta, um professor de medicina na Universidade de Bolonha, em Itália, e vice-presidente da Comissão de Ética do Hospital Universitário de St. Orsola Malpighi, estudou os doentes celíacos diagnosticados ao longo de 15 anos nesse hospital. O estudo envolveu 770 pacientes, 599 deles do sexo feminino, diagnosticados entre 1998 e 2007. Cerca de metade foram diagnosticados durante os primeiros 10 anos do período de estudo e os demais nos últimos cinco anos, indicando um aumento acentuado nas taxas de diagnóstico.

Entre todos os pacientes, 610 pessoas, ou 79 por cento, tinham sintomas quando foram diagnosticados. Mas a maioria dos seus problemas não era a diarreia e perda de peso anormal, mas sim questões "não-clássicas" como inchaço abdominal, osteoporose e anemia. A diarreia era um sintoma em apenas 27 por cento dos pacientes.

Na verdade, os sintomas clássicos tornaram-se menos comuns ao longo dos anos, passando de 47 por cento dos pacientes durante os primeiros 10 anos a 13 por cento nos últimos cinco anos. Entretanto, outros problemas, assim como a falta de qualquer doença significativa relacionada, um aumento de mais de 86 por cento.

"A mudança mais notável na apresentação clínica da doença celíaca ao longo do tempo tem sido a redução da diarreia como o principal sintoma e o aumento progressivo de outros sintomas gastrointestinais não-clássicos (como prisão de ventre, inchaço abdominal e hábitos intestinais alternados, bem como refluxo gastro-esofágico, náuseas, vómitos e dispepsia) ", disse o Dr. Volta por e-mail à Reuters Health.

"Uma grande proporção de pacientes com doença celíaca não apresentam qualquer sintoma gastrointestinal, mas exibem manifestações extra-intestinais, tais como a anemia por deficiência de ferro, osteoporose inexplicável, anormalidades nos testes de função hepática e abortos recorrentes", disse.

A doença mais comum associada com doença celíaca foi a doença da tireoide. Apenas metade dos pacientes tinham danos intestinais graves, e 25 por cento tinham danos parciais.

Recentemente, mais pacientes são diagnosticados através de exames de sangue. Isto pode ser um factor responsável pelo padrão em mudança dos sintomas típicos, disse o Dr. Volta, porque os pacientes são diagnosticados mais cedo, antes que o glúten exerça o seu dano. "Os efeitos do glúten não eram tão graves ainda", disse. "A história de doença celíaca foi radicalmente alterada pela descoberta dos anticorpos relacionados com a doença celíaca, que identificam muitos casos de baixa suspeita."

O Dr. Green concorda que o teste melhorou muito o diagnóstico da doença. Disse que no Reino Unido qualquer pessoa com deficiência de ferro ou enxaqueca é testado para a doença celíaca. Enquanto a maioria dos especialistas conhece os sintomas variados da doença celíaca, mas outros médicos podem não conhecer, disse. O Dr. Green salientou que, nos Estados Unidos, apenas 17 por cento das pessoas com a doença são realmente diagnosticadas.

"Qualquer um pode ter a doença celíaca, é comum e sub-diagnosticada", disse o Dr. Green. "A mensagem que importa passar é que se achar que tem a doença celíaca, não basta começar uma dieta isenta de glúten, tem que ser testado."

O Dr. Volta espera que o estudo lembre aos médicos os muitos problemas que podem sinalizar a doença celíaca. "Espero que os médicos tenham em mente que a doença celíaca é uma intolerância alimentar muito frequente, que deve ser investigada não só em pacientes com diarreia e má absorção manifesta, mas também em pessoas com outros sintomas", disse. "O tratamento com dieta isenta de glúten melhora a qualidade de vida de pacientes sintomáticos e previne complicações em todos os pacientes com doença celíaca, incluindo aqueles sem sintomas", disse também."

Outros artigos:
Extraintestinal manifestations of coeliac disease
Celiac disease patients presenting with anemia have more severe disease than those presenting with diarrhea.
5 Weird Signs You Have Celiac Disease
A large variety of clinical features and concomitant disorders in celiac disease - A cohort study in the Netherlands.
Symptoms and Mucosal Changes Stable During Rapid Increase of Pediatric Celiac Disease in Norway.




2 comentários:

babel disse...

Marcadores celiacos de rutina en hierro bajo y migraña en U.K.... Cuánto queda por hacer en la piel de toro...! Hay gente aquí que todavía desconfía del diagnóstico si no tienes síntomas intestinales importantes, o que se atreven a sugerirte una reintroducción gradual del gluten...
Supongo que la investigación va también buscando también otros marcadores más precoces...

Lucente disse...

Babel, en Portugal es peor aún: hay médicos que no pensam en la enfermedad celíaca ni siquiera con evidentes síntomas intestinales...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...